Boletim de Discussão de Astronomia Cosmobrain


Cosmofórum

Fórum Brasileiro de Astronomia


Forum de Astronomia Cosmobrain
 
 
 
Criar novo tópico Enviar mensagem  [ 96 Mensagens ] 

  Autor

  Mensagem


Aspirante
Aspirante
Default Avatar.
 
 Masculino
 Msgs: 105
 Registro: 05/01/2011

Offline
Re: A teoria do zênite solar

Mensagempor Luiz Sampaio Athayde » Seg, 17/01/2011, 02:38h

Amigos,

Acabo de perder uma resposta que estava preparando ao Amigo Vitor AD. De repente a página voltou a pedir meu login e senha... tem alguma maneira da turma da informática do fórum recuperar o que foi digitado? Estava grandinha, nossa... Sigo respondendo...

Abraços,

Luiz Sampaio




Voltar ao topo
 Perfil  
Responder com citação  

Aspirante
Aspirante
Default Avatar.
 
 Masculino
 Msgs: 105
 Registro: 05/01/2011

Offline
Re: A teoria do zênite solar

Mensagempor Luiz Sampaio Athayde » Seg, 17/01/2011, 04:16h

Olá Vitor AD,
Estava preparando uma resposta com muito mais detalhes mas estranhamente a página do fórum fechou e aparentemente perdi a digitação e as colagens todas. Agora estou fazendo aqui e em um word ao mesmo tempo.
Agradeço aos questionamentos feitos, pois me ajudam a aprender mais um pouco sobre o assunto e sobre minha própria teoria, uma vez que o texto será reescrito para outras finalidades acadêmicas, vamos às respostas.

Vitor AD escreveu: "...estou tentando entender a finalidade da melhor delimitação das estações em cada localidade".

Você usou a palavra "melhor". Se é melhor, vamos fazer. Trata-se de corrigir equívocos da educação importada imposta desde os tempos de colônia. Os conteúdos estão inabalavelmente corretos para as regiões temperadas, para as tropicais, definitivamente, não. Ainda citei no meu trabalho as observações cuidadosas da Profa. Gabriela Cabral do Brasil Escola e o Prof. Kepler de Oliveira da UFRGS, que diz que as estações são máximas nos polos e desaparecem no equador. Muitos outros trabalhos nem sequer mencionam qualquer difculldade de normatização nas regiões intertropicais.

Vitor AD escreveu: "Vistor AD escreveu: "Estive em dezembro em Porto Velho - RO em pleno ínicio do inverno amazônico (que se extende de dezembro a abril)".

Gostaria que o Amigo ou qualquer outro Amigo do fórum me enviasse qualquer referência CIENTÍFICA sobre o verão amazônico, como algum trabalho de conclusão de curso, dissertação de mestrado, ou tese de doutorado que respalde cientificamente o tema, as Estações na Amazônia. Acho interessante, mas só tenho visto os repórteres falando que começa por volta de outubro, o que coincide com a passagem do sol depois do equador (21/09). A Teoria do Zênite Solar tem bases para tal normatização. Como não sou da região, seria bom que algum acadêmico ou comunidade acadêmica da região normatizasse a questão, com base nos dados científicos (datas da passagem do sol) e padões climáticos do local. Já que o amigo leu, favor retornar ao capítulo onde descrevo a Tabela do Zênite Solar 01 pois encontrará algumas sugestões. O texto "levanta a bola", restando aos acadêmicos farem as pesquisas e discussões como estamos fazendo aqui em Salvador.

Vitor AD escreveu: "Sou de Salvador e entendo bem as particularidades do clima que antecedem ou ultrapassam o período clássico do verão. Mas poderia entender com se ouvesse um outono ou primaveras mais quentes ou mais frios e não necessáriamente teria que dizer que para SSA o "verão" deveria iniciar em outubro e extender-se até abril ou que o outono seria apenas em maio/junho e que o inverno seria entre julho e agosto".

Nobre conterrâneo, um cidadão de Londres, por exemplo, nunca observa um zênite, entretanto a maior APROXIMAÇÃO do sol configura verão. Na nossa cidade ocorre umzênite em 27/10, praticamente 60 dias ou 2/3 do período da estação oficial, o que a desconfigura por copompleto. Permita-me discordar do Amigo, pois entendo que a ocorrênncia de um zênite (sol a pino ou perpendicularmente em 90 graus) deveria se sobrepor a uma mera aproximação para configuração de um verão. A sua afirmação de que seria uma "primavera quente" denota um amor exarcebado às regras oficiais que nos é imposta desde os tempos de colônia. Depois o sol se afasta daqui (por menos do que 45 dias, ou menos do que a metade do período de uma estação pelas regras oficiais) vai até o trópico, no solstício e retorna novamente a nossa cidade, incidindo a pino novamente por aqui em 15/02. Como o outono se aproxima (21/03) refutarei da mesma forma e pelo mesmo raciocínio a afirmação do amigo de que seria um "outono quente". Digo também que o nosso inverno coincide com o oficial, pois o sol está mais afastado da nossa cidade nessa data. Certamente, segundo a minha teoria teríamos deslocados e encurtados o outono e a primavera e um verão de mais de seis meses, dadas as nossas condições climáticas e as posições astronômicas da terra ou o Zênite Solar. O Amigo não acha que um zênite deveria se sobrepor à aproximação para configurar um verão? Ainda que fosse em datas diferenciadas? Tudo devidadmente respaldado por dados científicos? Esse é o posicionamento do nosso texto.

Vitor AD escreveu: "Poderíamos entender como questão de convenção em relação a posição da Terra em sua órbita ou como interpretações de temperaturas ou índices pluviométricos que em nada implicariam em modificarmos a interpretação clássica das 4 estações".

Exatamente, caro amigo. As quatro estações são convencionadas (falarei sobre convenção na resposta que farei ao Amigo Edu) com base nas quatro posições astronômicas e nos padões climáticos. O ponto onde discordo do amigo é que exatamente pela observação da insolação diferenciada é que deveriamos criar regras diferenciadas em regiões diferenciadas da terra. Os dados científicos apontam. A condiçção climática corrobora.

Vitor AD escreveu: "Tenho apenas 40 anos mas me lembro categoricamente da mudança do clima em relação a minha infância até hoje e principalmente ouvindo dos mais velhos as mesmas impressões em relação ao tempo deles".

Amigo, a nossa Salvador não é mais a mesma. Está crescendo muito e se desenvolvendo rapidamente com vários e grandes shoppings e engarrafamentos que mais lembram Miami ou S Paulo. Quanto mais se constrói, mais aumentam as ilhas de calor e o clima de fato muda. Além de seu conterrâneo sou seu contemporâneo e também percebo tais mudanças. De fato as cidades estão cada vez mais quentes. Existe um cientista chamado Luiz Molion que diz ter dados para comprovar que o planeta não está aquecendo, mas as cidades sim, devido a esses fatores.
De qualquer forma, ainda que esquente muito e chova durante o verão (oficial ou da nossa teoria), isso em nada prejudica a nossa construção, uma vez que as condições climáticas daqui (ainda) confirmam que temos um verão de mais de seis meses, o que, inclusive é dito pela sabedoria popular daqui O que A Teoria do Zênite Solar está fazendo é apontando dados científicos, por meio de observação de fatos astronômicos para explicar e normatizar tal sentimento coletivo.

Vitor AD escreveu: "Gostaria, se possível, em humildemente solicitar qual o fim prático (ou mesmo se apenas teórico) que a Teoria traria para nós pois estou confuso".

Em frases curtas (me esforçarei para escrever pouco em cada uma! Rs...):
Corrigir o verão de Salvador com base nos eventos astronômicos e padão climático;
Corrigir o conteúdo dos livros didáticos;
Não dispensar a literatura oficial, mas fazer as devidas ressalvas;
Deixar de utilizar cegamente a literatura importada;
Desenvolvimento do ensino de diversas localidades para ensinar corretamente a cada aluno de cada local diferente o que realmente acontece em sua região;
Fornecer as bases para cada localidade reconhecer suas estações de forma diferenciada;
Desenvolvimento da ciência local com o advento da nossa teoria;
Reconhecimento das novas regras de forma local (A Universidade e a Igreja já o fizeram);
Divulgação da existência no nosso estado de um verão prolongado, o que pode incrementar receitas de turismo também (conforme perguntado pelo Amigo Edu a quem irei responder em seguida).

Devo ter esquecido algum detalhe pois a resposta perdida era um pouco maior do que essa. Se algo me ocorrer, colocarei depois. Se alguma dúvida persistir, não hesitem em entrar em contato ou postar aqui os questionamentos, pois será um prazer responder, além do aprendizado, conforme dito acima.

Grande abraço para o Vitor AD e a todos!

Luiz Sampaio




Voltar ao topo
 Perfil  
Responder com citação  

Aspirante
Aspirante
Default Avatar.
 
 Masculino
 Msgs: 105
 Registro: 05/01/2011

Offline
Re: A teoria do zênite solar

Mensagempor Luiz Sampaio Athayde » Seg, 17/01/2011, 06:03h

Olá Edu,

Aqui estou a responder, é sempre um prazer para mim. Antes de prosseguir, gostaria de pedir a autorização dos moderadores deste fórum para publicar no meu blog o link para que os meus leitores e seguidores possam ler o conteúdo dos nossos debates. Creio que será de suma importância para auxiliar no entendimento do meu trabalho. Certo da compreensão e da liberação, agradeço antecipadamente aos senhores!

Edu escreveu: "Não existe teoria..."

Teoria, do grego θεωρία , é o conhecimento especulativo, puramente racional. Um conhecimento diz que o verão em todo o hemisfério sul é de 21/12 a 21/03. Meu trabalho diz que em Salvador, contrariando aquele primeiro conhecimento o verão vai de 12/09 a 01/04. Isso não é uma especulação? Não é puramente racional uma vez que é fundamentado em fatos empíricos e astronômicos irrefutáveis?
O substantivo theoría significa ação de contemplar, olhar, examinar, especular. (Acho desnecessário dizer que observei o zênite em Salvador em datas diferenciadas do período de verão ditado pelas regras oficiais e especulei uma data diferente para a ocorrência do verão na nossa cidade). Também pode ser entendido como forma de pensar e entender algum fenômeno a partir da observação. Não foram propostos períodos diferentes para as estações do ano no nosso trabalho? Não são respaldados por fatos astronômicos? Não é uma nova forma de pensar e entender a ocorrência das estações do ano por aqui?
Teoria também é um conjunto de conhecimentos que apresentam uma certa credibilidade e explicam determinado fenômeno. Toda a credibilidade é conferida pelos fatos astronômicos. Não estamos explicando o maior período de calor em Salvador? Que ultrapassa e muito o período ditado pelas regras oficiais?
Também significa hipótese, suposição. Difícil é refutar uma hipótese respaldada empiricamente pelos fatos astronômicos: As estações oficiais são determinadas pela ocorrência do zênite solar nos trópicos. As estações do ano entre esas regiões deveriam ser reconhecidas quando da ocorrência do zênite nas mesmas. Isso não é uma hipótese? Isso não é uma suposição? Um zênite não será mais importante do que uma mera aproximação do sol? Algum fato astronômico iria de encontro às mesmas? Será possível refutar isso?

Edu escreveu: "o que existe é um fato bem definido, as estações do ano são baseadas numa convenção e é sabido que elas não determinam as temperaturas em todas as regiões"

Essa grande convenção, da qual discordo e vou tentar explicar aqui o porquê, diz que o verão se inicia 21/12 p/ o hemisfério sul. Um fato incorreto, pois no dia seguinte a posição estará sendo abandonada! Mas, assim foi convencionado... sempre imaginei que, se as quatro posições astronômicas ocorresem em um quadrilátero imaginário, e que cada posição estivesse exatamente no meio de cada um dos lados desse quadrilátero, a convenção deveria determinar que o início de uma estação e fim da outra seria nas diagonais. Não sei se estou sendo claro, mas é uma incorreção completa dizer que elas se iniciam nas datas em que são máximas! Nas datas que são seus pontos culminantes! Essas datas deveriam sim, ser o meio das estações, assim quando disséssemos: "estamos no meio do verão" ou "estamos em pleno verão" estaríamos de fato próximos da data mais forte da estação. E o mesmo se aplicaria às outras três estações, obviamente. Mas por quê não ataco a convenção? Justamente por ser uma mera decisão que não pode ser refutada por meio de uma hipótese ou teoria fundamentada em dados e fatos empíricos. Simplesmente se conhece as quatro posições astronômicas do planeta e se convencionou que ali começariam as estações. Discordo, porém não proponho nada de novo nesse sentido. Nas minhas sugestões para Salvador, o dia 21/06 seria o MEIO do nosso inverno, ou o seu ponto culminante. Ainda vamos discutir na mesa redonda na UFBA, conforme disse em comentários anteriores esses outros detalhes.
Quanto ao fato delas não determinarem as temperaturas em todas as regiões, é justamente a lacuna onde A Teoria do Zênite Solar pretende normatizar, conforme nos ensinam os cientistas mais cuidadosos ao abordarem o assunto. Estamos tentando fugir da posição simplista de afirmar que as Estações desaparecem em direção ao equador. Podemos aferir com precisão, sim. E Salvador está abaixo da metade da distância entre o equador e o trópico e apresenta seus sistemas diferenciados ao longo do ano. Tentamos fugir também do simplismo de afirmar que em Salvador é verão o ano inteiro. Não temos neve mas temos, sim um inverno: Ligamos o chuveiro elétrico e dorminmos cobertos, por exemplo, dadas as menores temperaturas causadas pelo maior distanciamento do sol. Se não possuimos inverno por não apresentarmos neve, então os polos (onde os cientistas mais cuidadosos afirmam que elas são máximas) tem inverno o ano inteiro porquê o gelo nunca desaparece por completo? Espero que tenha entendido quando a questão é sobre convenção ou sobre fato científico.


Edu escreveu: "não há nada de novo a ser descoberto"

Somente novas estações do ano para as localidades intertropicais. Ou então, o Amigo poderia apontar onde já existe literatura semelhante? O Amigo já viu algum livro didático em alguma escola no Brasil fazer tais ressalvas? Os cientistas mais cuidadosos afirmam que elas desaparecem entre os trópicos ou em direção ao equador. Se o Amigo conhece alguma literatura semelhante, favor indicar para que eu a conheça e estude também, ok?
Óbvio que nós não descobrimos o movimento do sol. Mas não conheço nenhum trabalho que, com base nos dados científicos da passagem do mesmo ou seu movimento aparente, como é mais correto afirmar, sugira novas regras para as estações do ano em alguma localidade específica. Penso que sobre Salvador posso inferir com segurança sobre a duração das estações. Para outras localidades, deveriam ser os acadêmicos de cada uma.

Edu escreveu: "não há especulação..."

Especular, significado: Observar, indagar, pesquisar: especular as causas. Meditar, raciocinar, fazer teoria pura. Desnecessário comentar. As respostas já cuidam do ponto.

Edu escreveu: "não há dúvida sobre o funcionamento das estações do ano..."

Caro Amigo Edu, o Brasil ocupa a posição de número 73 em desenvolvimento humano e 53 em educação, segundo organismos internacionais (nessa hora não bom ouvir o que dizem os governos ou candidatos). Aprendemos o assunto no primário, com aquelas famosas quatro gravuras da neve, folhas, flores e sol, e a maioria do território do nosso País não apresenta neve, por exemplo, o que causa uma distância entre o que é aprendido e o que é vivenciado pelos alunos. Em Salvador ainda ocorre a incongruência do maior calor em data distinta do que está escrito nos livros que é o verão... esses fatos prejudicam e muito o ensino e aprendizado do assunto na maioria do nosso País. Se o Amigo leu o texto, viu na parte que falo sobre os grandes pensadores da educação. Só vamos compreender melhor o assunto quando chegamos na faculdade e se formos curiosos em relação ao assunto, falo pelo menos sobre a realidade da minha região. Se perguntarmos em uma rua cheia, para populares: "Por quê temos estações?" A maioria não responderá corretamente que elas são delimitadas pelas quatro posições... No primeiro mundo sim o assunto é bem ensinado, as crianças fazem fotos do analema na suíça, nos EUA tem plannetários nas salas de aulas para explicar os movimentos terra/sol e outras coisas mais... Talvez realmente não haja entre nós, cientistas e curiosos do assunto. Vamos ensinar a esse povo, então!

Edu escreveu: "me resta pensar que o objetivo da proposta seria estender o verão na Bahia visando o turismo. Seria isto ou ainda não entendi"?

Esse pode ser considerado também um dos objetivos, mas certamente não é o principal. Gostaria que o Amigo visse a resposta que coloquei para o nosso Amigo Vitor AD, onde descrevo alguns dos objetivos. Já ouvi de tudo com relação à idéias de aplicação dos conhecimentoss desse trabalho: Venda de protetores solares, realização de cruzeiros maritmos a certa inclinação do sol, etc...
Já procurei a Sociedade Brasileira de Dermatologia para discutir o assunto mas não consegui ser atendido. De qualquer forma a recomendação médica garante segurança, mas não gostaria de detalhar isso aqui... já digitei muito hoje! Rs...

Grande abraço do Amigo,

Luiz Sampaio




Voltar ao topo
 Perfil  
Responder com citação  

Moderador
Moderador
Default Avatar.
 
 Masculino
 Msgs: 2679
 Registro: 09/05/2004

Offline
Re: A teoria do zênite solar

Mensagempor jaderroo » Seg, 17/01/2011, 13:35h

Luiz Sampaio Athayde escreveu:
J...

Jader escreveu: "Sinceramente, eu tenho dúvidas se as pessoas "comuns" conseguem notar essa distorção no tempo, mas creio que elas notam quando o Sol fica mais tempo no céu (data com maior duração de incidência solar).
Eu não encontrei no CdC o dia em que o Sol se poe às 19 horas, encontrei apenas 18 horas. O amigo está se referindo às 19 horas com o horário de verão"?

Não Jader. Me referi mesmo ao horário normal. Mas não tenho esse dado com precisão. Comecei a medir essa distância, por assim dizer, em 03/11 com a nossa placa metalica e aguado o dia 12/02 para completar. Prometo fazer um pequeno vídeo para apurar o horário preciso, ok? Mas de qualquer forma deve ser mais do que as 18 horas, certamente. Como já andei filmendo e fotografando o sol por aqui nas datas astronômicas vou ver no meu banco de dados se possuo algum da data de 15/02 (data do nosso zênite) que é próxima da data do máximo analema leste, 12/02.

...


O amigo acabou não me respondendo sobre esse comentário: "Sinceramente, eu tenho dúvidas se as pessoas "comuns" conseguem notar essa distorção no tempo, mas creio que elas notam quando o Sol fica mais tempo no céu (data com maior duração de incidência solar).



Luiz Sampaio Athayde escreveu:
...
Edu escreveu: "me resta pensar que o objetivo da proposta seria estender o verão na Bahia visando o turismo. Seria isto ou ainda não entendi"?

Esse pode ser considerado também um dos objetivos, mas certamente não é o principal. Gostaria que o Amigo visse a resposta que coloquei para o nosso Amigo Vitor AD, onde descrevo alguns dos objetivos. Já ouvi de tudo com relação à idéias de aplicação dos conhecimentoss desse trabalho: Venda de protetores solares, realização de cruzeiros maritmos a certa inclinação do sol, etc...
Já procurei a Sociedade Brasileira de Dermatologia para discutir o assunto mas não consegui ser atendido. De qualquer forma a recomendação médica garante segurança, mas não gostaria de detalhar isso aqui... já digitei muito hoje! Rs...
...


Também não vejo finalidade prática para essa teoria.
Venda de protetor solar? Já existe a recomendação para usarmos protetor solar durante quase todo o ano, mesmo no RS, onde o Sol NUNCA chega no zênite.
Cruzeiros marítimos? Os cruzeiros ocorrem, na maioria, no período de férias (turistas no hemisfério norte fugindo do inverno, além de turistas do hemisfério sul para curtir as férias de verão). Cabe ressaltar que as férias de verão/inverno não serão alteradas por sua teoria, assim, em nada vai ajudar o turismo na sua região.




Jader
Itaipuaçu (Maricá) - RJ
Jader Silva Fotografia
500px: Jader Silva
Google+: +Jader Silva

Voltar ao topo
 Perfil  
Responder com citação  

Aspirante
Aspirante
Default Avatar.
 
 Masculino
 Msgs: 105
 Registro: 05/01/2011

Offline
Re: A teoria do zênite solar

Mensagempor Luiz Sampaio Athayde » Seg, 17/01/2011, 15:09h

Grande Jader, Saudações!

Achei irrelevante comentar exatamente aquele ponto, mas vamos lá: O Amigo colocou o fato da maior insolação solar no hemisfério, que ocorre no dia do solstício, o que é um fato. Na teoria me refiro à distorção do tempo como fator que aumenta a sensação de verão. Acho que se as pessoas, comuns ou das ciências, notam o maior período de insolação pódem observar também a distorção. Vai de cada um, não tenho certeza exatamente quanto ao fato. Teria que fazer uma pesquisa com tratamento estatísticos dos dados para responder adequadamente. O que me faz pensar em relação aoo atraso do sol é o fato de ele estar alto ainda por volta das 18 ou 18:30 se pondo praticamente as 19 (vou levantar o horário exato depois, ok?).
Jader, você já externou o seu posicionamento contrário, e isso não me incomoda nem um pouco. Até acho importantes as posições contrárias pois elas fortalecem mais ainda o nosso trabalho e sou grato a todos vocês que participaram da discusssão. A percepção vai além da astronomia, passando por questões de educação a respeito do tema conforme exaustivamente repetido por mim. Faço aqui um convite a todos para a mesa redonda, onde decidiremos sobre os detalhes finais aqui na UFBA. Uma Universidade é o local adequado para discussões assim.
Com relaçção à venda de protetores ou cruzeiros não foram idéias minhas, mas que OUVI de outras pessoas, como disse. Continuo insistindo que a finalidade da Teoria é científica e acadêmica. Não vejo possibilidade comercial. Como disse, também, as recomendações médicas garantem segurança, justamente porque elas extrapolam qualquer observação dos movimentos do sol, como você colocou em relação ao sul do Brasil e como eu deixei de colocar por puro cansaço de digitar ontem pela madrugada... tem outras coisas mais, mas fica para uma próxima ocasião ou se alguém levantar a bola...
Claro que A Teoria do Zênite Solar não irá alterar nenhum calendário, conforme nosso atestado fornecido pela Igreja Católica e discutido anteriormente. Mas é preciso lembrar das pessoas que tem férias em períodos variados nas outras regiões do Brasil, por exemplo (nem vou falar do mundo). Imagine que, segundo o conhecimento normal, todas as pessoas sabem que o nosso verão iria de 21/12 a 21/03. Se fosse divulgado pelo nosso estado que o verão dura mais do que seis meses, mais pessoas adotariam essa localidade como destino. Seria alargada a possibilidade de mais pessoas decidirem vir aproveitar de toda a exuberância da natureza que há aqui. Ainda não tive tempo de entregar o trabalho nas mãos do secretário de turismo do estado, mas oportunamente o farei! Só faço questão de frisar: Esse não é o objetivo principal da Teoria do Zênite Solar.
Jader, por favor, você me autoriza a divulgar no meu Blog os links para as pessoas acessarem as nossas discussões aqui no fórum? É um bom material para esclarecer as dúvidas, lhe sou antecipadamente grato. Continue participando!

Grande abraço,

Luiz Sampaio




Voltar ao topo
 Perfil  
Responder com citação  

Expert
Expert
Default Avatar.
 
 Masculino
 Msgs: 1683
 Registro: 05/09/2008

Offline
Re: A teoria do zênite solar

Mensagempor parsec » Seg, 17/01/2011, 15:26h

Oi;

...acho que a dificuldade principal em ver qual a utilidade do que esta sendo exposto neste tópico é resultante da forma de pensar de seus participantes que primariamente tem os arquétipos astrônomicos em mente.

Não adianta procurar nenhuma utilidade astronômica para essa teoria, pois todo o sistema irá se comportar como antes desta ou daquela teoria.

Mas afinal o que a teoria tem por objetivo? Posso estar até errado, mas vejo dois pontos:

1. Educacional: baseado nos escritos de Vygostik, Paulo Freire e outros. Por exemplo, Paulo Freire teve uma idéia genial ao associar a forma de alfabetização ao que o indivíduo conhecia; por exemplo, não adianta falar de feijão preto com arroz se o camarada nunca viu feijão preto com arroz. Essa foi uma grande sacação, alfabetizar o sujeito em função do ambiente que o envolve de modo a fazer conexões entre a palavra e a realidade. Isso é colocado na teoria, pois como definir o inverno para o baiano ou qualquer outro falando de neve se o camarada nunca viu neve. Nesse ponto a teoria fala de uma temperatura muito elevada no verão e menos elevada no inverno. Como fica meio sem fundamento falar em temperatura maior ou menor, apela-se para um fenômeno físico observado do zenite solar que coincide com os tempos de maior temperatura sobre a região em que vive esse indivíduo. Neste contexto, será muito mais fácil de educar o cidadão, pois ele percebe essa diferença.

2. Econômica: um tempo de insolação maior implica em maior tempo de luminosidade e de trabalho e outras consequencias como turnos de trabalho. Exemplo: supondo que no verão da Bahia o dia esteja já com o sol as 05:00 da manhã até as 19:00 h. Isso é mais de 8 horas de trabalho. O cidadão vai começar a trabalhar as 05:00 e vai parar as 13 h e outra turba vai de 13 horas as 21 horas. Uma suposição, mas se viável e reconhecida oficialmente, poderá trazer legalidade a região em questão. Provavelmente, hoje o horário de trabalho deve estar situado entre 09:00 e 17:00 horas, perdendo-se horas que poderiam aumentar a produtividade regional, ou caso seja aproveitadas, são de maneira informal. Outras conotações também existem como maior turismo, uma vez que a Bahia tem carnaval o ano inteiro; pois carnaval mesmo só em fevereiro/março e ocorre em Salvador. Os demais ocorrem nas outras cidades com o nome de micareta, em meses subsequentes. Não sou baiano mas o pessoal diz que o carnaval é assim... :mrgreen:

Não sei se me fiz entender, mas me parece que os objetivos são simplesmente estes dois acima, ou seja, pedagógico e econômico. De qualquer forma é apenas uma opinião.... :D




Vida Longa e Próspera
Ilidio
__________________________________________

Meade LX50, 254 mm F/10 SC - Vixen VC200 L
Newt.: Meade 200 mm F/6 - SW 200 mm F/5
Refrator Omni XLT, 120 mm F/8.3
http://www.parsec.net.br

Voltar ao topo
 Perfil  
Responder com citação  

Aspirante
Aspirante
Default Avatar.
 
 Masculino
 Msgs: 105
 Registro: 05/01/2011

Offline
Re: A teoria do zênite solar

Mensagempor Luiz Sampaio Athayde » Seg, 17/01/2011, 15:44h

Olá Ilídio (Parsec),

É exatamente isso! As suas observações estão corretas, inclusive sobre a Bahia! Precisamos lembrar também que a educação está ligada à cultura, e é da cultura do baiano exaltar o seu verão, as suas festas, as suas praias, o seu verão! Obrigado por participar!
Somente para brincar um pouco com o tema, vamos pensar na precessão, que faz com que o eixo da terra gire como um peão, e a volta completa se dará em 26.000 anos, ou seja, em 13.000 anos (metade da precessão) os verões e invernos serão invertidos entre os hemisférios, será verão no sul em junho e verão no norte em dezembro. E na metade da metade, ou seja, em 6.500 anos, os soltícios e equinócios trocarão de lugar, será soltício em março e setembro e equinócio em junho e dezembro, só que nenhum de nós estará aqui para ver!
Realmente nenhuma teoria modificará tais fatos!
Jader, você que é o nosso Moderador, por favor, me deixa divulgar os links no meu Blog?

Um grande abraço do Amigo,

Luiz Sampaio




Voltar ao topo
 Perfil  
Responder com citação  

Moderador
Moderador
Default Avatar.
 
 Masculino
 Msgs: 2679
 Registro: 09/05/2004

Offline
Re: A teoria do zênite solar

Mensagempor jaderroo » Seg, 17/01/2011, 21:03h

Luiz Sampaio Athayde escreveu:
...
Jader, você que é o nosso Moderador, por favor, me deixa divulgar os links no meu Blog?
...


Ser moderador não significa ser o dono/mantenedor do CF.
Só quem pode autorizar é o Eduardo.
Mande um e-mail para ele.




Jader
Itaipuaçu (Maricá) - RJ
Jader Silva Fotografia
500px: Jader Silva
Google+: +Jader Silva

Voltar ao topo
 Perfil  
Responder com citação  

Moderador
Moderador
Default Avatar.
 
 Masculino
 Msgs: 2679
 Registro: 09/05/2004

Offline
Re: A teoria do zênite solar

Mensagempor jaderroo » Seg, 17/01/2011, 21:10h

Me tira mais uma dúvida: como será delimitado o período do verão nas regiões próximas, ou cortadas, pelo equador?




Jader
Itaipuaçu (Maricá) - RJ
Jader Silva Fotografia
500px: Jader Silva
Google+: +Jader Silva

Voltar ao topo
 Perfil  
Responder com citação  

Expert
Expert
Default Avatar.
 
 Masculino
 Msgs: 1683
 Registro: 05/09/2008

Offline
Re: A teoria do zênite solar

Mensagempor parsec » Seg, 17/01/2011, 23:48h

Oi Jader;

jaderroo escreveu:
Me tira mais uma dúvida: como será delimitado o período do verão nas regiões próximas, ou cortadas, pelo equador?


...não é o objetivo da teoria colocar esses parâmetros. O processo é regional com os maiores interesses na área educacional e economica da região. Pelo que entendi, se é que entendi, o único parâmetro seria a instituição do modelo de verão estendido, que poderia servir de base para o estudo em regiões adjacentes com características semelhantes, cada um determinando a sua realidade; mas não como um parâmetro universal. Algo tipo o verão da Bahia teria, sei lá, 4 meses e o do estado abaixo teria 3 meses e meio se utiliza-se o mesmo modelo de determinação.... :D

Esse negócio confunde a gente.... :mrgreen:




Vida Longa e Próspera
Ilidio
__________________________________________

Meade LX50, 254 mm F/10 SC - Vixen VC200 L
Newt.: Meade 200 mm F/6 - SW 200 mm F/5
Refrator Omni XLT, 120 mm F/8.3
http://www.parsec.net.br

Voltar ao topo
 Perfil  
Responder com citação  

Moderador
Moderador
Default Avatar.
 
 Masculino
 Msgs: 2679
 Registro: 09/05/2004

Offline
Re: A teoria do zênite solar

Mensagempor jaderroo » Ter, 18/01/2011, 02:24h

parsec escreveu:
Oi Jader;

jaderroo escreveu:
Me tira mais uma dúvida: como será delimitado o período do verão nas regiões próximas, ou cortadas, pelo equador?


...não é o objetivo da teoria colocar esses parâmetros. O processo é regional com os maiores interesses na área educacional e economica da região. Pelo que entendi, se é que entendi, o único parâmetro seria a instituição do modelo de verão estendido, que poderia servir de base para o estudo em regiões adjacentes com características semelhantes, cada um determinando a sua realidade; mas não como um parâmetro universal. Algo tipo o verão da Bahia teria, sei lá, 4 meses e o do estado abaixo teria 3 meses e meio se utiliza-se o mesmo modelo de determinação.... :D

Esse negócio confunde a gente.... :mrgreen:


Ilídio, considerando a regionalização na área educacional e econômica, como ficariam as regiões equatorias, ou próximas a elas? Na linha do equador também ocorrem duas passagens zenitais do Sol, então como seria o verão nessas regiões? Segundo essa teoria, na região equatorial o verão seria muito mais extendido e traria reflexos econômicos e educacionais.

Eu não creio que essa regionalização vai funcionar. As férias escolares terão que ser sempre padronizadas, pois o ano letivo tem uma carga horária prevista para todo o território nacional. O início e o final do ano letivo também tem que ser padronizado. Imagina como seria a aplicação da prova do ENEM se o ano letivo fosse diferente em cada estado/região.

O turismo também não seria beneficiado com essa teoria, pois os períodos de alta temporada sempre coincidem com as férias escolares. Eu mesmo só gosto de tirar férias junto com as férias escolares de meus filhos. Os meus amigos também preferem tirar férias com os filhos.

O econômico também não vejo muita vantagem, pois o horário de verão já nos permite aproveitar os dias mais longos do verão. Ilídio, você escreveu o seguinte na outra mensagem: Exemplo: supondo que no verão da Bahia o dia esteja já com o sol as 05:00 da manhã até as 19:00 h. Isso é mais de 8 horas de trabalho. O cidadão vai começar a trabalhar as 05:00 e vai parar as 13 h e outra turba vai de 13 horas as 21 horas. Uma suposição, mas se viável e reconhecida oficialmente, poderá trazer legalidade a região em questão. Provavelmente, hoje o horário de trabalho deve estar situado entre 09:00 e 17:00 horas, perdendo-se horas que poderiam aumentar a produtividade regional, ou caso seja aproveitadas, são de maneira informal.
Você falou do aumento do número de horas disponíveis, mas será que a indústria vai ter demanda para essa maior produção? De nada adianta ter um número maior de horas de trabalho, se o empregador não tiver a necessidade de utilizá-las. Em Caxias do Sul-RS as indústrias/empresas trabalhavam mais no inverno e primavera, pois se preparavam para o maior número de vendas do final do ano. A maioria delas dava até férias coletivas, ou redução das horas trabalhadas, nos meses de dezembro e janeiro.




Jader
Itaipuaçu (Maricá) - RJ
Jader Silva Fotografia
500px: Jader Silva
Google+: +Jader Silva

Voltar ao topo
 Perfil  
Responder com citação  

Aspirante
Aspirante
Default Avatar.
 
 Masculino
 Msgs: 105
 Registro: 05/01/2011

Offline
Re: A teoria do zênite solar

Mensagempor Luiz Sampaio Athayde » Ter, 18/01/2011, 03:53h

Aos meus Amigos Jader e Ilídio,

Acho que o Ilídio se sintonizou melhor com o conteúdo da Teoria do Zênite Solar, o que não quer dizer que concorde ou faça algum tipo de apoio como sua divulgação, por exemplo. Concordo com as suas observações: "os maiores interesses na área educacional e economica da região. Pelo que entendi, se é que entendi, o único parâmetro seria a instituição do modelo de verão estendido, que poderia servir de base para o estudo em regiões adjacentes com características semelhantes, cada um determinando a sua realidade; mas não como um parâmetro universal. Algo tipo o verão da Bahia teria, sei lá, 4 meses e o do estado abaixo teria 3 meses e meio se utiliza-se o mesmo modelo de determinação".
Jader, adorei a sua pergunta sobre as localidades equatoriais, e como já disse anteriormente o seu posicionamento discordante (que respeito categoricamente) tem sido muito bom para o desenvolvimento do meu trabalho e dos meus conhecimentos.
Vou fazer aqui abaixo uma colagem de parte do texto da teoria onde descrevo a Tabela do Zênite Solar 01. Para resumir o ponto exato do seu questionamento, responderei que a Teoria sugere (sem a intenção de normatizar sem a devida participação dos acadêmicos da região descrita) que da metade da distância entre o equador e o trópico até o equador as localidades poderiam ter configurados dois verões com o desaparecimento do inverno. Veja o texto completo abaixo:

(A Tabela pode ser vista no meu texto, se quiser conferir veja nas páginas 20 a 22 e na 26: http://congressoilheus.com.br/event/ces ... %20_7_.pdf)

Anexada a este texto, há uma tabela mostrando a ocorrência do Zênite Solar, que é o momento que o sol incide exatamente sobre uma localidade. Não estão sendo levadas em consideração as longitudes, entretanto a tabela mostra a incidência do zênite em cada data, organizadas na coluna da esquerda, indo de 21/06/09 até 21/06/2010 (366 linhas) e em cada latitude, indo de 23,5º de latitude norte até 23,5º de latitude sul, passando pelo zero grau, que é o equador, pintado de marrom (95 colunas).
A precisão da curva da incidência do Zênite Solar está prejudicada pelas poucas possibilidades das células quadradas do Excel e, para tentar respeitar as diferenças da superfície terrestre, colocamos a descida da mesma de três em três linhas, depois de duas em duas e, finalmente, de uma em uma linha, entretanto as datas limites estão precisas.
Essa incidência está marcada por células pintadas de vermelho e, para Salvador (13,5º Sul), pintamos em azul o inverno, que ficará mais curto em relação às regras oficiais (74 dias e não 90); em amarelo, a primavera, que antecede o verão, com a marcação da data em vermelho (12/09/09) que ocorre 45 dias antes do primeiro Zênite Solar, que seria, portanto, o início do nosso verão; em verde, o outono, que antecede o inverno, com a marcação da data em vermelho (01/04/10) que ocorre 45 após o segundo Zênite Solar e seria, portanto, o final do nosso verão. Notemos que os períodos do outono e primavera estariam encurtados para a metade, ou seja, apenas 45 dias e as ocorrências destes não teriam ligação com as posições astronômicas do equinócio, que são aproximadamente 21/09 e 21/03.
Outro detalhe da tabela que vale salientar é que a partir da latitude 12,0º para norte e para sul e até o final, que está na medida 23,5º para norte e para sul, a área pintada de vermelho refere-se ao verão de zênite a zênite nessas latitudes, segundo a nossa proposta.
Vale lembrar que a medida exata para tal ocorrência é 11º 43’ 11” para norte ou para sul e, com a pouca precisão da tabela, que está dividida apenas de meio em meio grau, optamos em fazer esse corte na altura de 11,5º.
Como a tabela é muito grande na sua versão original no programa Excel, a cópia e colagem para este documento no programa Word não permitem enxergar os números das datas ao longo das suas 366 linhas ou dos graus e suas frações de 50% ao longo das suas 95 colunas. Recomendamos a apreciação da mesma no seu programa original e, caso queiram imprimir o façam em formato A1 ou Azero. No formato A2 é necessário o auxílio de uma lente para enxergar os dados. Outra opção para sua correta visualização é alterar o zoom do Word para 400% ou 500%
A tabela mostra também que, ao se projetar o mesmo raciocínio para as localidades de latitudes entre 11º 43’ 11” norte ou sul (representados na tabela com a medida de 11,5º) e o equador existe uma tendência de desaparecimento do inverno, visto que o equador apresenta dois zênites solares ao ano em 21/09 e 21/03, datas estas que são, segundo as regras oficiais, outono e inverno (ou vice-versa, a depender da leitura hemisfério sul para norte ou norte para sul). Isso explica a confusão do conceito de estações entre os trópicos, pois, no caminho do sol, relativamente ao equador, se contar 45 dias após um dos seus zênites (21/09 ou 21/03), que ainda seria o seu verão, tem-se mais 45 dias de um “outono” até o sol atingir um dos trópicos, que duraria também 45 dias, para então observar uma “primavera”, nos 45 dias seguintes, que estaria ligada ao seu verão, novamente 45 dias antes do seu segundo zênite.
Na tabela, a ocorrência do outono e primavera do equador está pintado de verde e amarelo, respectivamente, nas colunas ao lado, para não apagar a sua cor marrom. O Equador apresentaria, portanto, dois verões: um de 07/08/09 (45 dias antes do seu primeiro zênite solar que é 21/09/09) até o dia 05/11/09 (45 dias depois do seu primeiro zênite solar que é 21/09/09). Nos 90 dias seguintes, tem-se um período de 45 dias de outono (até 20/12/09) e os 45 dias seguintes de primavera (até 04/02/10). De 05/02/10 até 06/05/10, tem-se o seu segundo verão, que é marcado pela medida de 45 antes até 45 dias depois do seu segundo zênite que é 21/03.
Dessa forma, as localidades de 11º 43’ 11” (ou 11,5º na tabela), partindo do norte ou sul até o equador, que é 0º, teriam dois verões, sendo que as primeiras teriam um outono/primavera simbólico de apenas um dia, caso suas condições e padrões climáticos assim os confirmem.
Tais considerações deveriam ser utilizadas para normatizar o denominado Verão Amazônico, que é normalmente anunciado por volta de outubro, exatamente após o zênite solar do equador, observado por volta de 21 de setembro.
A Tabela do Zênite Solar I pode ser baixada no nosso Blog www.veraodabahia.blogspot.com na postagem “Elementos Técnicos” do dia 07/07/2009, ou, clicando diretamente no seguinte link para download: http://www.mediafire.com/?hjyuyyfjny2

Grande abraço a todos!

Luiz Sampaio




Voltar ao topo
 Perfil  
Responder com citação  
Mostrar mensagens anteriores:  Organizar por  
Criar novo tópico Enviar mensagem  [ 96 Mensagens ] 

 
Ir para:  
 

 Usuários Online

Usuários online neste fórum: Nenhum usuário registrado online e 1 visitante
 Todos os Horários são UTC * Todos os IPs são logados.
 
 
Criar novos tópicos: Negado
Responder tópicos: Negado
Editar suas mensagens: Negado
Excluir suas mensagens: Negado
Enviar anexos: Negado

cron
 
Servidores Dedicados Ars Magna Powered by Ars Magna WebServer